“Os sistemas de AVAC vêm se tornando cada vez mais sofisticados, possibilitando maior conforto térmico e menor custo. Nesse sentido, têm crescido a utilização de inversores de frequência e painéis de automação para atender as novas necessidades de performance e eficiência energética de instalações industriais e comerciais. Um dos diferenciais da linha de inversores de frequência está em possuir as funcionalidades de CLP incorporadas como padrão em todos os modelos, permitindo ao usuário personalizar aplicativos através do software de programação ladder gratuito WLP, além de contribuir para a otimização do sistema de automação”, diz Manfred Peter Johann, diretor superintendente da WEG Automação.

Segundo Johann, o sistema de fluxo variável, por ajustar-se automaticamente à demanda do sistema, apresenta menor consumo de energia durante a operação. Um sistema de ar condicionado de um edifício corporativo, por exemplo, apresenta variações de carga térmica durante sua operação.

O sistema de fluxo variável das bombas centrífugas realiza uma rotina de controle que segue os passos abaixo:

– O sistema de automação inicia a operação das bombas centrífugas de água gelada com partida dos motores em rampa, até atingir o set point de pressão da rede de tubulação hidráulica. Em função da perda de carga, a partida e o controle são facilmente executados pelos inversores de frequência.

– Em paralelo, o medidor de vazão ultrassônico manda um sinal para o controlador, que modula a válvula de controle do by-pass, garantindo a vazão mínima de água gelada no chiller. Esse item também faz a proteção do sistema, para que o chiller não seja desarmado por falta de fluxo de água.

– Quando houver variação na perda de carga do sistema, o transdutor de pressão enviará um sinal de controle analógico para o controlador integrado ao inversor, que por sua vez será responsável por modular a velocidade do motor, aumentando ou diminuindo a pressão do sistema.

– As reduções no consumo de energia são alcançadas nos ajustes automáticos do fluxo de água gelada, realizados pelos sistemas de controles dos inversores de frequência.

“As instalações típicas dos sistemas de fluxo variável de refrigerante são compostas por unidades condensadoras, com condensação a ar e água (externas), e unidades evaporadoras (internas). Devido a um sistema inversor no compressor das unidades condensadoras, o sistema funciona a uma capacidade que está de acordo com a carga das unidades internas. Assim, a eficiência é alcançada através da redução de capacidade em condições de carga parcial. A maioria dos sistemas opera em 60% da carga em aproximadamente 80% do tempo de carga parcial. Como áreas adicionais requerem refrigeração, o compressor é acelerado para proporcionar a capacidade necessária. Quando uma zona atingir a temperatura abaixo do set point, o compressor ficará mais lento, reduzindo a capacidade para o nível necessário para atender o sistema. Isso evita o “on-off” do compressor, que se mantém estável, modulando de acordo com a demanda, tornando o sistema altamente eficiente, uma vez que só está fornecendo a capacidade necessária e sem desperdício de energia”, explica Johann.

Veja também:

Eficiência energética com rápido retorno do investimento

Fluxo variável: Aplicações em expansão direta e água gelada

Volume de vazão variável

Por:Ana Basile

Comentários