As instalações hidrônicas e de distribuição de ar até as unidades de tratamento de ar em cada piso, foram realizadas pela Comtel Climatização. Davi Vilela Nóbrega, diretor da empresa, coloca o sistema de ar condicionado projetado pela Interplan como de alta complexidade, “principalmente devido à alteração da forma convencional de abordagem psicrométrica no tratamento do ar, optando por proceder o desacoplamento entre as cargas térmicas de calor sensível e de calor latente, enfrentando-as separadamente, utilizando unidades de tratamento de ar específicas para cada caso, sob diferentes temperaturas do ar, conforme a conveniência.”

Por se tratar de um retrofit, com parte das instalações em funcionamento, a Comtel teve a necessidade de recorrer ao aluguel de chillers provisórios com condensação à ar enquanto modificava a posição da CAG antiga, para a implantação da CAG definitiva no local onde funcionava a anterior. No entanto, Nóbrega afirma que a “maior dificuldade na implementação neste tipo de sistema é o controle preciso de características térmicas de ar e água nas unidades de tratamento do ar exterior, pois as mesmas possuem dois estágios de resfriamento, onde o 1º deles é alimentado por água a 9°C e o 2º, por água a 4°C, sendo que a temperatura de saída do 2º estágio coincide com a temperatura da alimentação do 1º estágio (9°C), e por isso é lançada no citado coletor, onde existe uma mistura com a vazão proveniente da CAG, abastecendo juntas os equipamentos de recirculação, evitando custos de rebombeamento. No projeto esses regimes de temperatura estão denominados como sistema de baixa temperatura (4°C) e sistema de média temperatura (9°C).”

Veja também: 

Plenário, da ALEPE, opera em fluxo turbulento e tem solução inusitada 

Alterações foram feitas sem interrupção das atividades

Edifício passa por retrofit e ganha ventilação personalizada

Sistema VRF alimenta salas de rack e nobreak

Tags:, , ,

Comentários