Iniciado em 2012, o Programa Interno de Eficiência Energética da WEG teve como proposta trabalhar na substituição de motores elétricos por modelos com os melhores índices de rendimento disponíveis. Nos últimos cinco anos foram economizados 12,3 GWh/ano, o que é equivalente ao consumo de aproximadamente 6.800 residências (150 kWh/mês por residência).

Uma das ações realizadas foi na trefilação da WEG Motores, em Jaraguá do Sul, que é o processo de fabricação de arame e barras finas de metal, como o cobre. Esse procedimento consiste em estirar o cobre por meio da aplicação de uma força de tração na saída da matriz. Geralmente os processos de trefilagem são realizados à temperatura ambiente, e como as deformações para a formatação do metal são feitas em grande quantidade, ocorre um aumento considerável de temperatura durante a operação. Por isso a necessidade das torres de resfriamento.

Com o intuito de reduzir o consumo de energia elétrica, os custos operacionais, aumentar a competitividade e automatizar o sistema, a WEG substituiu em 2013 os motores W21 IR1 por motores W22 IR3 Premium, que superam o nível de rendimento em vigor – e já estão preparados para a mudança da legislação, que a partir de 2019 terá o IR3 como novo índice mínimo de eficiência para motores elétricos de baixa tensão. Em conjunto com os motores elétricos, foram aplicados nas torres de resfriamento inversores de frequência CFW1 nos sistemas de bombeamento e ventilação.

Com a aplicação do conjunto de alta eficiência, houve uma redução de 67,8% no consumo de energia elétrica e uma economia média de 29,7% no consumo de água por ano na torre. A solução conta também com um software, exclusivo WEG, que dispensa o uso de controladores de temperatura e PLC’s (controlador lógico programável), fazendo o controle direto pelo inversor de frequência.

Ao implantar a solução, os motores do ventilador e bombas tornam-se automatizados, alterando a velocidade de acordo com a real necessidade do processo. Uma produção variável ou sazonalidades da temperatura ambiente local exigem capacidades distintas de resfriamento que são automaticamente ajustadas pelo uso da solução. Além disso, o controle da variação de velocidade pode propiciar a redução de evaporação da água, consequentemente reduzindo o consumo de água de reposição e produtos químicos.

Veja também

Avanço da escassez pede o reaproveitamento da água de condensado

Coleta e uso do condensado como reposição nas torres de resfriamento

Extração e aplicação nobre da exergia de resfriamento

 

Por:Ana Basile

Comentários