Levando em consideração que a presença de ar e sujidade na linha estão associados a outros fatores, além do tipo do sistema (circuito aberto ou fechado), como cuidados durante a instalação – correta estocagem das tubulações e demais acessórios, procedimento de flushing garantindo o arraste da sujeira aos filtros/separadores, correto procedimento de enchimento da linha e a presença do ar dissolvido no fluido introduzido no sistema – pode ser que ainda haverá a ocorrência de bolhas, sujidades e incrustações nos sistemas fechados. Assim, deve-se acrescer o equipamento relacionado à eliminação do ar no formado dissolvido, solução que poderá ser aplicada a sistemas fechados através de degaseificadores, quando a eliminação do ar degaseificado é realizada por um sistema de degaseificação ciclônico a vácuo, que combina os efeitos de queda de pressão, atomização e movimento rotacional para a retirada do ar.

Amanda Salamone, gerente da IMI, enumera as vantagens da utilização de tanques de expansão pressurizados:

  1. A mitigação da migração de ar/oxigênio para dentro do sistema, garantindo a pressão positiva da linha em relação à pressão atmosférica e minimizando a ocorrência do processo de difusão. A redução de oxigênio na linha permitirá uma melhor eficiência na troca térmica dos equipamentos instalados, a diminuição de ruído e de depósitos de ferrugem e ferrita, e a minimização de ocorrência de cavitação;
  2. Maior flexibilidade em sua instalação, podendo ser posicionado em qualquer ponto da linha e possuindo dimensões inferiores em comparativo aos tanques atmosféricos;
  3. Garantia da não perda do fluido por meio de transbordamento e evaporação.

Veja também

Controle de pressão em sistemas de água abertos e fechados

Por:Ana Basile

Comentários