No dia 12 de julho último foi publicada no Diário Oficial da União a consulta pública da proposta de aperfeiçoamento do Regulamento Técnico da Qualidade para a Classe de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos.

Dentre as principais alterações propostas neste aperfeiçoamento, destacam-se:

· Introdução de novos métodos de avaliação do nível de eficiência energética de edificações (método simplificado e de simulação), que buscam aproximar ainda mais os resultados da avaliação do consumo real das edificações;

· Melhorias no formato das etiquetas, que passam a fornecer um conjunto complementar de informações e indicar os consumos de energia por uso final (iluminação, condicionamento de ar, água quente, etc.);

· Introdução de novas tipologias de edificações (escritórios, educacionais, hospedagem, hospitalares, etc.);

· Introdução da abordagem de energia primária, que possibilita integrar diferentes fontes de energia (elétrica, térmica, gás, solar, etc.) na avaliação do desempenho energético da edificação;

· Melhoria do indicador de desempenho, que passa a comparar a edificação com suas características reais à mesma edificação, adotando-se condições de referência, dentre outras alterações.

A proposta ficará em consulta pública por 60 dias, encerrando-se o prazo em 12 de setembro de 2018.

Terminado o prazo da consulta pública, o Inmetro se articulará com as entidades que tenham manifestado interesse na matéria para que indiquem representantes nas discussões posteriores, visando à consolidação do texto final.

A proposta pode ser acessada aqui.
NNo dia 12 de julho último foi publicada no Diário Oficial da União a consulta pública da proposta de aperfeiçoamento do Regulamento Técnico da Qualidade para a Classe de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos.

Dentre as principais alterações propostas neste aperfeiçoamento, destacam-se:

· Introdução de novos métodos de avaliação do nível de eficiência energética de edificações (método simplificado e de simulação), que buscam aproximar ainda mais os resultados da avaliação do consumo real das edificações;

· Melhorias no formato das etiquetas, que passam a fornecer um conjunto complementar de informações e indicar os consumos de energia por uso final (iluminação, condicionamento de ar, água quente, etc.);

· Introdução de novas tipologias de edificações (escritórios, educacionais, hospedagem, hospitalares, etc.);

· Introdução da abordagem de energia primária, que possibilita integrar diferentes fontes de energia (elétrica, térmica, gás, solar, etc.) na avaliação do desempenho energético da edificação;

· Melhoria do indicador de desempenho, que passa a comparar a edificação com suas características reais à mesma edificação, adotando-se condições de referência, dentre outras alterações.

A proposta ficará em consulta pública por 60 dias, encerrando-se o prazo em 12 de setembro de 2018.

Terminado o prazo da consulta pública, o Inmetro se articulará com as entidades que tenham manifestado interesse na matéria para que indiquem representantes nas discussões posteriores, visando à consolidação do texto final.

A proposta pode ser acessada aqui.
No dia 12 de julho último foi publicada no Diário Oficial da União a consulta pública da proposta de aperfeiçoamento do Regulamento Técnico da Qualidade para a Classe de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos.

Dentre as principais alterações propostas neste aperfeiçoamento, destacam-se:

· Introdução de novos métodos de avaliação do nível de eficiência energética de edificações (método simplificado e de simulação), que buscam aproximar ainda mais os resultados da avaliação do consumo real das edificações;

· Melhorias no formato das etiquetas, que passam a fornecer um conjunto complementar de informações e indicar os consumos de energia por uso final (iluminação, condicionamento de ar, água quente, etc.);

· Introdução de novas tipologias de edificações (escritórios, educacionais, hospedagem, hospitalares, etc.);

· Introdução da abordagem de energia primária, que possibilita integrar diferentes fontes de energia (elétrica, térmica, gás, solar, etc.) na avaliação do desempenho energético da edificação;

· Melhoria do indicador de desempenho, que passa a comparar a edificação com suas características reais à mesma edificação, adotando-se condições de referência, dentre outras alterações.

A proposta ficará em consulta pública por 60 dias, encerrando-se o prazo em 12 de setembro de 2018.

Terminado o prazo da consulta pública, o Inmetro se articulará com as entidades que tenham manifestado interesse na matéria para que indiquem representantes nas discussões posteriores, visando à consolidação do texto final.

A proposta pode ser acessada aqui.
o dia 12 de julho último foi publicada no Diário Oficial da União a consulta pública da proposta de aperfeiçoamento do Regulamento Técnico da Qualidade para a Classe de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos.

Dentre as principais alterações propostas neste aperfeiçoamento, destacam-se:

· Introdução de novos métodos de avaliação do nível de eficiência energética de edificações (método simplificado e de simulação), que buscam aproximar ainda mais os resultados da avaliação do consumo real das edificações;

· Melhorias no formato das etiquetas, que passam a fornecer um conjunto complementar de informações e indicar os consumos de energia por uso final (iluminação, condicionamento de ar, água quente, etc.);

· Introdução de novas tipologias de edificações (escritórios, educacionais, hospedagem, hospitalares, etc.);

· Introdução da abordagem de energia primária, que possibilita integrar diferentes fontes de energia (elétrica, térmica, gás, solar, etc.) na avaliação do desempenho energético da edificação;

· Melhoria do indicador de desempenho, que passa a comparar a edificação com suas características reais à mesma edificação, adotando-se condições de referência, dentre outras alterações.

A proposta ficará em consulta pública por 60 dias, encerrando-se o prazo em 12 de setembro de 2018.

Terminado o prazo da consulta pública, o Inmetro se articulará com as entidades que tenham manifestado interesse na matéria para que indiquem representantes nas discussões posteriores, visando à consolidação do texto final.

A proposta pode ser acessada aqui.

Fonte: Procel Info

Tags:, ,

Comentários