Segundo Fernando Bassegio, gerente de marketing e atendimento ao cliente da Trox do Brasil, em muitos países o BIM já é obrigatório para projetos do setor público. “O fato de o BIM permitir avaliar prazos e custos numa fase preliminar do projeto atrai cada vez mais a atenção dos investidores e proprietários de novos investimentos, isso pode ser considerado um motivo suficiente para também fazer o BIM obrigatório para o detalhamento de contratos e cronogramas, especialmente para grandes projetos. O Grupo Trox desenvolveu uma biblioteca BIM completa de seus produtos para atender as novas mudanças nos conceitos de projeto, que estão direcionadas para a codificação de produtos comercializados na Europa, através de nossa matriz e subsidiárias, porém, é possível utilizar as mesmas fazendo uma correlação com os produtos fabricados em nossa planta no Brasil, com o suporte de nossa engenharia de aplicação, encontrando-se disponível para todos os clientes. Através da parceria com a Linear, o Grupo Trox desenvolveu uma ferramenta chamada X-BIM CAD Browser. O Configurador TROX X-BIM CAD é uma ferramenta desenvolvida pela empresa, a fim de tornar a concepção de projeto mais fácil para os projetistas. É uma maneira rápida e segura de obter registros de dados para os componentes Trox e usá-los para aplicações de projetos no conceito BIM. O configurador recupera dados para os componentes através de uma interface do nosso software Easy Product Finder usado para seleção de produtos. Basta selecionar um tipo de produto usando a ferramenta X-BIM CAD e, em seguida, configurar as variáveis do produto no EPF e enviar os dados de configuração para o X-BIM CAD. A ferramenta X-BIM CAD Browser está disponível gratuitamente. É possível realizar download pelo site da Trox onde também consta um tutorial de como utilizar. No momento estamos trabalhando localmente para realizar o desenvolvimento e adequação dos produtos fabricados no Brasil, e o maior desafio são nos produtos customizáveis que fabricamos”, informa Bassegio.

Na visão de Ricardo Facuri, diretor executivo da Systemair Traydus, a maior vantagem da metodologia BIM é das empresas de projeto e do próprio cliente final, que terá um projeto muito melhor concebido e detalhado. “Nós, como fabricantes, apenas temos a vantagem de ter nossos produtos referenciados nos projetos, o que nos possibilita melhor chance de participar das licitações para fornecimento dos produtos e equipamentos. Logicamente, quanto maior o projeto estiver integrado ao nosso portfólio de produtos, maiores nossas chances de fornecermos. Outro ponto importante é que tanto o cliente quanto o projetista sabem exatamente o que está especificando e comprando. Com isso, o tempo de definição para ambos os lados (cliente e fornecedor) é menor, o que gera resultado para todos. Além de facilitar nas simulações de projetos, possibilitando melhorar o apoio ao trabalho dos projetistas. O Grupo Systemair possui uma gama de produtos extremamente extensa. Por isso, é praticamente impossível que já tivéssemos todos os produtos disponíveis para o BIM. Então, a decisão foi por iniciar nossa biblioteca modelando os produtos com maior volume de vendas no mercado mundial e que fossem totalmente standard, tais como ventiladores e componentes de distribuição de ar. A partir daí, passamos a incluir linha por linha, dos produtos mais simples até os mais complexos. Os equipamentos que produzimos no Brasil são em grande parte customizados ou com muitas variáveis em suas configurações, como é o caso das unidades de tratamento de ar. Por esse motivo fica mais difícil criarmos os modelos para o BIM. No entanto, estamos já trabalhando uma parte de nossos projetos de produtos em 3D, o que é um passo importante para que possamos logo a diante disponibilizarmos os arquivos para os clientes e projetistas em extensões que possam ser compartilhadas e utilizadas no BIM. A modelagem 3D é uma realidade em projetos de construção civil. Como fabricantes de produtos e equipamentos de ventilação e ar condicionado, somos praticamente obrigados a desenvolvermos os modelos 3D com informação agregadas para a sistema BIM”, diz Facuri.

Para modelagem dos produtos, a Systemair utiliza o software CREO da PTC, que é dedicado a projetos mecânicos. A partir desse software são inseridas as informações e transformados em arquivos que podem ser abertos em Autocad ou Revit, softwares 3D de maior utilização no mercado mundial de construção civil. “Hoje utilizamos a plataforma Magic Cloud, onde o cliente ou projetista pode baixar os arquivos mediante um cadastro prévio. No entanto, a Systemair está investindo muito em TI, e em breve nossa biblioteca BIM estará disponível em nosso próprio website”, informa Facuri.

O gerente de engenharia da Reintech, Alex Galiotto, conta que após a aquisição dos softwares e dos respectivos treinamentos, foi iniciada na empresa a construção da biblioteca adaptada aos padrões de projeto para salas limpas e ambientes controlados, de equipamentos para o controle da contaminação e de sistemas de tratamento de ar.

“Percebemos que se tratava de um trabalho contínuo, certamente mais intenso no início do uso da tecnologia, devido à especificidade dos requisitos das salas limpas e a completa customização que oferecemos aos nossos clientes, desde os cálculos para o dimensionamento e a definição de arranjos dos equipamentos, até os detalhes de construção e montagem dos sistemas nos quais tais equipamentos estão inseridos. Utilizamos o Dassault Systèmes Solidworks no projeto 3D de equipamentos para o controle da contaminação e o Autodesk Revit no projeto BIM de sistemas de tratamento de ar para salas limpas e ambientes controlados. Atualmente, a biblioteca é restrita aos profissionais Reintech de engenharia e projeto 3D e BIM. Os nossos clientes recebem arquivos de leitura e edição dos seus equipamentos e sistemas, preparados para utilização por todos os níveis de usuário, desde a simples visualização por leigos na tecnologia. Futuramente, disponibilizaremos no nosso website a biblioteca dos nossos equipamentos padronizados em catálogo, para utilização pública. Além do investimento na tecnologia, não deixamos de investir na formação dos profissionais de engenharia e projeto, pois a tecnologia não dispensa profissionais capacitados, mas oferece muitos benefícios, dentre os quais destaco os recursos gráficos, as simulações de montagem e funcionamento, a verificação de interferências e a quantificação de insumos”, comenta Galiotto.

Cristiano Brasil, engenheiro de aplicação da Midea Carrier, diz que embora o setor ainda passe por um período difícil, o crescente otimismo pela retomada pode levar ao derradeiro empurrão para a consolidação definitiva do BIM no país.

“A construção de uma biblioteca para possibilitar o desenvolvimento de projetos na metodologia BIM é fator determinante para o sucesso e competitividade da indústria. Por se tratar de um material importante para a eficiência dos projetos, temos trabalhado principalmente com base nos desenvolvimentos globais da Carrier EUA e Toshiba Carrier. As linhas de produtos de plataforma global já estão todas desenvolvidas e são atualizadas quase simultaneamente com o lançamento ou atualização de produtos. A Midea Carrier utiliza para isso o software Autodesk Revit. Oferecemos acesso através do site global da Carrier em https://www.carrier.com/commercial/en/us/software/revit-3d-templates/ ou através de um site específico da Carrier Europa em http://revit.hvac.carrier.com/ Esses benefícios que o BIM traz aos fabricantes de equipamentos e componentes para ar condicionado reside no desenvolvimento acelerado de modelagens, identidade visual dos produtos, entre outros”, finaliza Brasil. (apb)

 Veja também: Desafios na adoção da Modelagem da Informação da Construção – BIM

 

Tags:, , , , ,

Comentários