Closeup Of Electrician Hands Stripping Electrical Wires For Wall Socket

No dia 8 de fevereiro, 10 jovens atletas da base do time do Flamengo morreram e três ficaram feridos em um incêndio dentro do alojamento do Centro de Treinamento do clube, em Vargem Grande, zona oeste do Rio. Uma das vítimas afirmou à Polícia que o incêndio teria começado num aparelho de ar condicionado. Acidentes com energia elétrica são o motivo de muitas fatalidades no Brasil e as causas costumam ser, geralmente, falta de manutenção e também de conhecimento básico de segurança, como proteger a fiação, não sobrecarregar tomadas, ter cuidado com a voltagem e, principalmente, fazer uma manutenção regular da rede elétrica.

“Serviços relacionados com eletricidade demandam profundo conhecimento técnico por parte dos profissionais. Serviços relacionados com instalação e manutenção de ar condicionado, são atividades da área de engenharia mecânica. Assim, para um profissional que atue com instalação de ar condicionado e que pretenda prestar também serviços de instalação elétrica, é importante que detenha a necessária experiência e imprescindível qualificação para estas atividades. Um profissional que detenha estas qualificações, deve primeiramente verificar qual a potência elétrica máxima do ACJ ou Mini Split que irá instalar e verificar os requerimentos adicionais que constam no manual do fabricante. De posse destas informações, deverá inspecionar o local e selecionar cabos, disjuntores etc. Todos os serviços de manutenção e instalação de ar condicionado, que envolvam circuitos elétricos, só podem ser executados por profissionais habilitados que, inclusive, tenham feito o Curso da NR-10 da CLT”, explica Arnaldo Lopes Parra, engenheiro especialista em instalação e manutenção de sistemas de ar condicionado e vice-presidente de comunicação e marketing da Abrava.

E como saber se a rede elétrica do local permite a instalação do aparelho? Segundo Parra são várias as verificações. “Deve-se verificar o quadro de energia do local para checar se é possível instalar o disjuntor dedicado, além de avaliar se este quadro de energia tem capacidade de suprir esta demanda elétrica adicional. Uma checagem nos disjuntores, fusíveis, cabos de alimentação e medições elétricas podem indicar a compatibilidade ou não. Para casos de apartamentos, é importante também verificar as condições de fornecimento de energia do condomínio, verificando as possíveis restrições com o zelador ou síndico, e ainda verificar se os quadros de energia do prédio comportam as eventuais demandas elétricas adicionais. As recomendações devem seguir o contido na Norma ABNT NBR 5410. Sempre utilizar cabos de boa qualidade, com conectores adequados, que geralmente são terminais do tipo pino. Evitar sempre emendas. Caso seja necessário, as emendas devem seguir as boas práticas com trabalhos elétricos, e muito bem isoladas. Uso de régua de terminais também é bastante indicado, em especial para instalação de ACJ (Ar Condicionado de Janela), que já vem com um plug de 3 pinos de 20 amperes; é imprescindível instalar uma tomada padrão ABNT de 3 pinos para também 20 A. Da mesma forma, dependendo do tipo de Mini Split, o uso de uma tomada de 3 pinos, 20 A também pode ser recomendável”, orienta Parra.

Genivaldo Rosa, engenheiro da Daikin McQuay Ar Condicionado, diz que a primeira providência a ser tomada para evitar possíveis desastres é entender o projeto elétrico do prédio e ter em mãos a Norma NBR 5410 que regulamenta as instalações elétricas. “Com o projeto elétrico em mãos, e os conceitos da NBR 5410 bem assimilados, é possível saber se a rede elétrica tem disponibilidade de potência para receber o aumento de carga que se pretende implantar e quais os cuidados na definição da rede elétrica de alimentação do equipamento. Nunca fazer emendas nos cabos elétricos e nas interligações dos cabos nos bornes do equipamento, utilize sempre terminais para evitar mau contato e superaquecimento dos cabos e dos bornes. Tão importante quanto, é fazer um aterramento adequado do equipamento. Os cabos elétricos de alimentação devem ser corretamente dimensionados para suportar a corrente máxima de operação do equipamento, devem estar acomodados em eletrodutos, levar em conta a queda de tensão em função da distância entre o quadro elétrico e o equipamento, as condições de temperatura no percurso do cabo, além de selecionar um disjuntor adequado. Para ar condicionado, devemos escolher disjuntores com curva C, mais conhecidos como disjuntores para motores e com corrente de desarme definidos pelo equipamento e pela capacidade do cabo elétrico selecionado. Também é muito importante fazer o aterramento elétrico do equipamento. Em resumo, seguir as recomendações da Norma NBR 5410, que regula as instalações elétricas em edifícios”.

Arnaldo Basile, presidente da Abrava, diz que a Associação não realiza atividades de fiscalização nas instalações de sistemas de climatização ou refrigeração. “Usualmente tomamos conhecimento de falhas ou operações inadequadas nos casos mais relevantes. Também não temos poder para coibir essas falhas, mas entendo que uma das atividades mais importantes que classifica a missão da Abrava como representante do mercado brasileiro do AVAC-R é sua incansável divulgação das Boas Práticas de Engenharia fundamentadas nas normas nacionais e internacionais. Há meses que a Abrava adotou a nomenclatura PMOC do Ar Condicionado para darmos a correta interpretação da expertise dos profissionais do nosso setor aos usuários em geral. Entendo que todo e qualquer sistema eletromecânico necessita ter obrigatoriamente o seu PMOC. Infelizmente, a Lei 13.589 ainda não foi regulamentada, e por conta disso há inúmeros usuários institucionais e corporativos que negligenciam suas responsabilidades quanto à qualidade do ar ambiente de suas instalações. Por outro lado, graças às insistentes ações de conscientização que tanto a Abrava quanto as demais entidades que compõem o CNCR (Comitê Nacional de Climatização e Refrigeração) vêm desenvolvendo, o PMOC do Ar Condicionado vêm sendo entendido mais e mais pelos usuários conscientes e zelosos de suas responsabilidades. Considero isso um ato de civilidade para com o usuário”, enfatiza Basile

Recomendações para proteção, instalação e manutenção de aparelhos de AC

Oswaldo de Siqueira Bueno, coordenador do CB55 e diretor da Bueno Engenharia, recomenda para a instalação de sistemas de condicionamento de ar de até 17 kW (5 TR, 60.000 BTU/h) a consulta da NBR 16655:2018 – Instalação de sistemas residenciais de ar condicionado – Split e Compacto que é dividida em três partes: Parte 1 – Projeto e instalação, Parte 2 – Procedimento para ensaio de estanqueidade, desidratação e carga de fluido frigorífico e Parte 3 – Método de cálculo da carga térmica residencial.

Bueno diz que o primeiro passo é atender a Parte 1, o item 4.2 Planejamento da Instalação – instalação elétrica, seguindo os itens abaixo:

– 4.2.1 – Viabilidade da instalação da unidade externa, verificando a aprovação por parte do condomínio da forma e do local, o tipo de parede e a fixação do suporte, ponto de drenagem de água e o ponto de força. O ponto de força é crítico, pois a instalação elétrica pode ou não atender ao acréscimo da demanda elétrica em amperes e é obrigatório que o disjuntor seja independente para cada unidade dividida (externa + interna). Caberá ao disjuntor proteger a fiação elétrica e ao próprio aparelho no caso de falha, como curto circuito, desligando a energia elétrica antes que este se transforme em incêndio;

– 4.2.2 – Viabilidade da instalação da unidade interna, verificando compatibilidade da carga térmica com a capacidade de refrigeração do aparelho (ver Parte 3), analisar a distribuição de ar no ambiente ocupado para evitar que o ar insuflado a baixa temperatura (de 10ºC a 15ºC) venha a provocar desconforto, previsão do ponto de drenagem da água condensada e o acesso para manutenção, higienização e troca de filtros;

– 4.2.3 – Viabilidade da instalação elétrica, verificando o ponto de força da construção, compatibilidade da fiação elétrica com a corrente A e queda de tensão V e dos dispositivos de proteção desde o ponto de medição, proteção contra sobrecarga ou curto circuito. Alimentação independente para cada equipamento de condicionamento de ar. Atender aos requisitos da NBR ABNT 5410 Instalações elétricas de baixa tensão – Proteção e Segurança;

– 4.2.4 – Viabilidade da instalação da tubulação do fluido frigorífico, verificando limites de distância horizontal e vertical, seguir a orientação do fabricante quanto ao material e dimensões dos tubos empregados, encaminhamento e fixação da tubulação, isolamento térmico independente para cada tubo com barreira de vapor e acabamento final compatível com a arquitetura.

“Sobre os tipos de conexões, recomenda-se que as uniões das tubulações não sejam rosqueadas, mas sim por brasagem assegurando que a união não irá se soltar com a vibração. O uso de conexões flangeadas (flare) é permitido. O ensaio de estanqueidade é que irá confirmar se as tubulações foram corretamente executadas. Quanto a possíveis sobrecargas elétricas, dependendo da unidade, se for monofásica ou trifásica, teremos sempre pelo menos 1, 2 ou 3 fios de fase, 1 neutro (se necessário) e o terra. A fiação de fase deverá ser protegida com disjuntores para sobrecarga e curto, dispositivo de proteção contra surtos DPS (são equipamentos desenvolvidos com o objetivo de detectar sobretensões transitórias na rede elétrica e desviar as correntes de surto) e dispositivo DR (Proteção contracorrente de fuga à terra em instalações elétricas de baixa tensão). Todos os itens dimensionados por um profissional habilitado. Acredito que cumprindo os itens anteriores o nível da segurança necessária será atingido. É recomendado o uso de EPI (equipamentos de proteção individual) bem como os procedimentos de segurança, como desligar o disjuntor quando for acessar partes internas do equipamento”, recomenda Bueno.

Ele lista as seguintes normas como orientação para uma instalação segura:

– NBR 16.655:2018 – Instalação de sistemas residenciais de ar condicionado – Split e Compacto: Parte 1 – Projeto e instalação, Parte 2 – Procedimento para ensaio de estanqueidade, desidratação e carga de fluido frigorífico e Parte 3 – Método de cálculo da carga térmica residencial.

– NBR ABNT – 5410 Instalações elétricas de baixa tensão – Proteção e Segurança;

– NBR 13.971 – Sistemas de refrigeração, condicionamento de ar, ventilação e aquecimento – Manutenção programada;

– NBR 16.280 – Reforma em edificações;

– NBR 16.401 – Instalações de condicionamento de ar – Sistemas centrais e unitários Parte 1 – Projetos das instalações, Parte 2 – Conforto térmico e Parte 3 – Qualidade do ar interior.

“O uso do disjuntor de capacidade adequada é uma boa forma de proteção. A instalação do fio-terra também é imprescindível para assegurar proteção elétrica contra possíveis choques. Equipamentos bem instalados, com aterramento eficiente e com seus terminais e conexões bem isolados, geralmente são suficientes para a proteção em geral.

Com relação às atividades elétricas, cito alicate universal, alicate de corte, descascador de fios, alicate prensa-terminais e chaves de fenda e phillips, com proteção de borracha, e bitola 1/8”, para apertos de terminais, também isoladas (chave-sindal); alicate-amperímetro e multímetro; e chave de fenda com LED indicador de fase. A manutenção elétrica é imprescindível para assegurar a segurança das operações de climatizadores de qualquer capacidade”, orienta Parra.

Neste contexto do PMOC – Plano de Manutenção, Instalação e Operação do ar condicionado, deve-se fazer verificações mensais do estado dos terminais, disjuntores, cabos, emendas e componentes elétricos em geral. Avaliar se não existem aquecimentos anormais destes componentes, substituindo-os de imediato, caso se constate irregularidade. Verificar também, se os disjuntores estão com seus terminais bem apertados e que não exista carbonização em nenhum componente.

Rosa acrescenta que, além de seguir o projeto e as normas referidas, é de suma importância que se façam os ensaios de operação no fim das instalações e, durante esses ensaios, com a ajuda de um multímetro sejam feitas as verificações das correntes de operação, tensão de alimentação durante o funcionamento. Em equipamentos trifásicos é preciso checar o balanceamento de tensão e de corrente entre as fases R-S-T e de medir as condições de aterramento do equipamento.

“Já para a manutenção, manter o equipamento em boas condições de operação, limpando periodicamente o condensador, o filtro do evaporador, e garantir uma boa ventilação para a unidade externa, são de suma importância. Na manutenção preventiva periódica, checar se as conexões elétricas estão firmes, se a tensão e a corrente de operação estão dentro dos valores normais para o funcionamento, além de fazer uma inspeção à temperatura dos cabos elétricos durante a operação. Além da norma de elétrica citada (NBR5410) é muito importante obedecer a Lei 13.589 de 04/janeiro /2018, que estabelece uma rotina obrigatória para a manutenção e operação dos equipamentos de ar condicionado. Por fim, contratar uma empresa especializada, planejar corretamente e obedecer às normas existentes. Esse é o tripé que garante a operação em segurança do sistema elétrico”, conclui Rosa. (APB)

Veja também:

União de tubos é muito importante

Tags:, , ,

Comentários