O retrofit em uma instalação de água gelada depende de algumas circunstâncias. O sistema pode deixar de funcionar como um todo (o que chamamos de catastrophic failure), pode estar gerando problemas de forma constante, pode não ter sido desenhado de forma adequada para cumprir com a carga térmica necessária e pode, também, apresentar um custo operacional muito elevado em energia e manutenção. Muitas vezes a falta de manutenção adequada gera problemas. Existem casos em que a demanda cresce ou muda durante a vida útil de um sistema e são necessários upgrades.

Assim, a decisão começa por determinar as necessidades atuais e futuras da organização ou edificação para proteger o bem-estar das pessoas e o valor dos ativos. Perguntas como a situação da atual carga térmica e sua variação e diversidade, assim como se existe a previsão de um aumento na demanda, são importantes. Igualmente é necessário ter em conta a idade e vida útil dos componentes críticos, e perceber quais componentes do sistema que precisam ser atualizados.

Orçamento disponível e o retorno sobre o investimento (ROI), também devem ser avaliados. Está o cliente disposto a avaliar a diferença entre o investimento inicial versus o custo durante a vida útil do edifício? Em muitos casos, por falta de conhecimento ou de orçamento, o cliente opta pela opção aparentemente mais econômica, sem olhar os custos a longo prazo.

Se o cliente opta pelo retrofit da central de água gelada, é recomendável a adoção de uma estratégia baseada em três pilares: pessoas, planeta e resultados (people, profit, planet) para decisões de negócios. Mesmo em climas tropicais, todos os sistemas de água gelada com velocidade variável, reset dinâmico, DT elevados com chillers paralelos (já que muitos chillers operam de forma mais eficientes em cargas parciais) podem aumentar drasticamente o desempenho e ao mesmo tempo diminuir o impacto ambiental. E, claro, seria importante considerar chillers de alto desempenho.

Se o desempenho do sistema de água gelada for abaixo do ideal, pequenas mudanças podem gerar melhorias significativas. Mudanças na sequência operacional de um sistema de água gelada (estamos agora falando de programação) dinâmico, de circuito fechado (closed-loop), com reset baseado na demanda, pode aumentar o desempenho do sistema (em termos energéticos) assim como aumentar o nível de conforto. Um sistema de automação predial que seja totalmente programável e que controle a CAG levando em consideração condições ambientais (em lugar de ignorá-las), assim como a demanda atual, consegue obter uma grande flexibilidade e otimização sem precisar de grandes investimentos em equipamentos. Um controle completamente programável da CAG faz com que o gerenciador de uma instalação tenha as ferramentas necessárias para modificar a operação em tempo real e de acordo com as mudanças que vêm ao longo do tempo. Também permite que operadores efetuem mudanças para modificar a operação e aumentar a vida útil de sistemas e componentes mais antigos. Às vezes, bastam mudanças de programação para obter grandes resultados.

Até mesmo pequenas mudanças, como o acréscimos de variadores de frequência, junto a um sistema de automação completamente programável, podem conseguir melhorias significativas de desempenho. É importante contar com o apoio de especialistas em automação, que podem fazer ajustes para a otimização do sistema. É importante contar com profissionais que sejam especialistas em centrais de água gelada e experientes em automação e controle das mesmas.

O desempenho de todos os componentes deve ser avaliado. Normalmente, se um chiller ou uma central de água gelada chegaram ao fim de sua via útil, é muito provável que o mesmo seja válido para os componentes de controles. Normalmente recomendamos que sejam avaliadas as válvulas e atuadores, particularmente se forem ainda os originais quando da instalação do sistema. Qualquer sensor que não esteja calibrado ou não fazendo leituras corretas, deve ser substituído, especialmente quando se tratar de sensores de pressão ou vazão. É importante substituir os sensores em pares, ou seja, se vamos substituir os sensores de água de abastecimento, devemos fazer o mesmo com o sensor de temperatura da água de retorno. Se for feita uma atualização para uma configuração de velocidade variável será necessário adicionar novos sensores de controle.

Se a opção for por uma atualização significativa da central de água gelada, como chillers e climatizadores, é importante levar em consideração a vida útil do sistema de automação. Vale lembrar que uma central de água gelada não tem que ser controlada pelo próprio fabricante do chiller. O cliente deve fazer uma escolha em base a uma solução sustentável para o seu sistema como um todo, e não em base ao chiller.

Precisamos estabelecer se o sistema existente, hardware e software, é ainda compatível com a linha atual, ou seja, se o representante local ou fabricante ainda presta serviços para a geração de controladores instalados. Muitos controladores têm vida útil muito menor que a dos chillers. A maior parte dos fabricantes de controles deixam de prestar serviço a linhas com mais de 7 ou 10 anos de vida. Se os controladores existentes ainda têm o suporte do fabricante é necessário avaliar se ainda são adequados e compatíveis com os novos equipamentos e novas sequências operacionais. O hardware é escalável, permitindo o acréscimo de mais entradas e saídas? As entradas são universais ou podem ser reconfiguradas para se adequarem às novas necessidades do sistema? O sistema de automação conta com interfaces locais, centrais e via browser? O controlador existente tem como opções logs, alarme e monitoramento, entre outros?

Se o cliente escolher um sistema de automação sustentável, mesmo com uma atualização dos componentes e equipamentos da CAG, é muito provável que serão suficientes apenas ajustes e reprogramação da automação. Um sistema de automação sustentável deve ser desenvolvido para uma vida útil longa, de preferência similar à do edifício. Para determinar isso, basta examinar o histórico do fabricante em relação à vida útil dos seus controladores e se o fabricante continua prestando serviço ao que chamamos de produtos legacy (linhas antigas e obsoletas).

O fabricante que pratica a sustentabilidade prestará serviços ao hardware, enquanto ele estiver funcionando, através da interoperabilidade da linha antiga de hardware com as novas linhas de hardware e software, enquanto for possível. Um sistema de automação sustentável, com longo ciclo de vida, deve manter-se operacional pelo menos durante a vida útil da CAG e, preferencialmente, durante a vida útil do edifício. Isso reduz o custo operacional e faz com que o cliente tenha mais benefícios. Se o sistema durar mais e tiver um bom desempenho durante a sua vida útil, terá um custo menor, permitindo que o cliente o otimize durante décadas, com retorno significativo sobre o seu investimento. Uma garantia do fabricante acima de cinco anos diminui o risco de investimento.

Outras considerações, como se o sistema é completamente programável, se a sequência operacional pode ser mudada ou adaptada de forma contínua e dinâmica de forma que o sistema funcione de forma otimizada e com desempenho ideal, são relevantes. Se o sistema for escalável ou ampliável e programado de forma dinâmica para acompanhar as crescentes demandas da instalação, a vida útil se estende e o custo operacional diminui. Sistemas completamente programáveis podem ser modificados para refletir mudanças operacionais, de ocupação, assim como mudanças no custo da energia, de tecnologia, entre outras.

A interface, ou sistema gerenciador, deve ser simples, flexível e segura. Se for de simples acesso para o operador, o famoso user-friendly, são maiores as chances de manter um bom desempenho do sistema de forma proativa. Também a cyber security não pode ser negligenciada.

O protocolo de comunicação deve ser aberto, como o BACnet, permitindo a comunicação entre dispositivos de diversos fabricantes. Isto impede que clientes sejam reféns de uma marca. Quando o cliente escolhe controladores BACnet (incluindo os que vêm com o chiller), ele pode escolher o sistema de automação mais de adequado às suas necessidades.

A Reliable tem um compromisso com a não obsolescência dos seus produtos. Fundada em 1986, possui, até hoje, controladores da primeira geração instalados no British Columbia Legistature Building, no Canadá, funcionando com a última geração de controladores e software.

 

 

 

 

 

 

 

Karina Maia Silva
Regional Sales Manager- Latin America
Reliable Controls Corporation

Tags:, , ,

Comentários