Foto: Osvaldo Furiatto – Divulgação EDS

A Associação Expedicionários da Saúde (EDS) foi criada em 2003 com o objetivo de levar atendimento médico para as comunidades indígenas na Amazônia. Em abril deste ano, frente à pandemia, a instituição criou a Missão Covid-19. Uma das primeiras ações foi instalar e equipar um Pronto Atendimento móvel como apoio ao Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Passo seguinte, assumiu a liderança da construção de um Hospital de Campanha de cuidados semi-intensivos entregue, em regime de concessão, à gestão da Prefeitura de Campinas, através da Associação Mario Gatti.

Sistema cascata de pressão negativa impede a disseminação do vírus

O local escolhido para a construção do hospital de campanha foi a sede dos Patrulheiros de Campinas, instituição dedicada ao ensino profissionalizante de jovens. Inicialmente foi utilizado o Ginásio da instituição, que recebeu 34 leitos. A segunda fase contemplará as salas de aulas, que receberão 6 leitos cada uma, totalizando mais 36. Os recursos utilizados foram totalmente levantados pela EDS através de parcerias no setor privado. Uma das parceiras foi a Multivac, fabricante de equipamentos para ventilação e distribuição do ar, como dutos, flexíveis e em poliuretano pré-isolados, e difusores.

Cada leito é atendido por uma unidade de ventilador tipo AXC

As instalações, que começaram a operar no final do mês de maio, são direcionadas ao pré-atendimento e atendimento semi-extensivo, ainda que preparadas para receberem UTIs. Como a Patrulheiros de Campinas encontra-se em zona urbana relativamente adensada, a preocupação concentrou-se no tratamento do ar de expurgo. A urgência da obra, que deveria ser executada em uma semana, determinou a solução.

A Multivac propôs um sistema composto de ventiladores do tipo AXC insuflando diretamente nos leitos. Para evitar o risco de contaminação do entorno pelo ar exaurido foi desenhada uma caixa de filtragem com filtros HEPA. Como o AXC não possui pressão suficiente para vencer a filtragem HEPA, foi instalada uma caixa de ventilação do tipo VXM com capacidade de 20.000 m3/h, equipada com motor eletrônico, que aspira o ar, em combinação com a bateria de AXC, resultando em 20 renovações de ar por hora, com injeção de 400 m3/hora por leito.

O ar exaurido passa por uma caixa de filtragem HEPA com a ajuda de uma caixa de ventilação do tipo VXM

O resultado é um sistema cascata de pressão, dos leitos para os corredores que, com a combinação dos dois tipos de ventiladores, impede um curto-circuito, mantendo a pressão negativa do ambiente e evitando a contaminação do entorno. Os próximos leitos, por estarem situados nas salas de aulas, contarão apenas com os ventiladores AXC, em número de dois por leito e trabalhando em série.

 

Tags:, , , ,

Comentários