Podemos dividir a funcionalidade básica de um sistema BMS (Building Management System – Sistema de Gerenciamento Predial) clássico em três funções básicas: controle, monitoramento e configuração. Para controle, os algoritmos examinam entradas como dados de sensor e ocupação para determinar como modular ou ligar e desligar válvulas, ventiladores, amortecedores etc.

O monitoramento permite visualizar entradas, saídas e alarmes de diagnóstico em tempo real ou através de registros históricos para verificar se o sistema está controlando como desejado. A configuração é o processo de alterar os ajustes e modificar a maneira como os algoritmos são aplicados e em quais pontos dos dados. Há uma quarta função, análise e otimização, que às vezes é fornecida por um sistema secundário que tem acesso a todos os mesmos dados que o BMS, mas foi criada com o objetivo de analisar padrões e tendências nos dados para fornecer indicadores significativos do desempenho predial e oportunidades de melhoria. O IoT promete melhorar todas essas funções, mas as alterações nessas categorias nem sempre estão acontecendo na mesma velocidade.

O controle da IoT de prédios comerciais, onde os algoritmos vivem na nuvem, ainda não é uma realidade. Isso ocorre devido a preocupações com segurança e confiabilidade. Os sistemas de automação atuais que controlam edifícios estão, em grande parte, fazendo um ótimo trabalho. O controle do IoT está definitivamente acontecendo no mercado residencial, com dispositivos como Alexa, Smarthings, Thread etc.

O monitoramento do sistema BMS predial é realizado remotamente há muitas décadas. Em vez de modems, os sistemas BMS agora possuem funcionalidade de gateway IP que permite o monitoramento completo do sistema de dentro do prédio ou de qualquer parte do mundo, usando a mesma tecnologia. O IoT aumentou a velocidade, a confiabilidade e a acessibilidade do acesso remoto. Outra grande mudança com o IoT é que não são mais apenas as pessoas que monitoram os dados do empreendimento. Uma vez que os dados são permitidos fora do BACnet, eles podem ser integrados aos dados ambientais e analisados ​​por algoritmos e inteligência artificial. É aí que entra a quarta função, análise e otimização, da IoT.

A configuração pode ser bem aprimorada com a IoT, especialmente em dispositivos inteligentes como ventiladores, bombas, válvulas e atuadores, que podem ser configurados e comissionados com ferramentas baseadas em aplicativos que são auxiliados pela nuvem dos fabricantes de dispositivos. Muitos dos sistemas BMS de hoje, que vivem fisicamente em um prédio, também possuem espelhos digitais armazenados em um servidor em nuvem. O espelho digital é uma réplica completa dos dados que existem no sistema BMS. Isso permite a configuração, programação e teste completos de um novo sistema BMS antes da instalação do hardware de controle, permitindo que os integradores de sistemas “ativem” o sistema de controle muito mais rápido ao final do projeto de um empreendimento.

IoT e o controle das instalações de AVAC

A Internet das Coisas está abrindo uma nova era de possibilidades, tornando mais fácil do que nunca colaborar com parceiros para oferecer novos produtos. Mas também apresenta uma série de preocupações operacionais e barreiras de adoção, incluindo desde segurança e privacidade até compartilhamento de dados e sobrecarga de dados.

De nada adianta ter um grande volume de dados coletados se esses dados não forem tratados e se transformarem numa informação relevante para o usuário. O fato de fabricantes disponibilizarem algoritmos de análise para esses equipamentos facilita bastante a equipe de operação e manutenção e economiza tempo para a tomada de decisão otimizando a mão de obra responsável pelo sistema. Muitos equipamentos já emitem relatórios de performance e, caso seja identificada alguma falha, lista as possíveis ações para solucionar o problema de forma rápida e eficaz.

Equipamentos com IoT já possuem lógicas embarcadas tanto para análise de falhas como para otimização dos sistemas de forma automática. Isso possibilita a identificação de uma falha logo no seu início, assim como minimizar ou programar o tempo de parada para manutenção. Como o sistema de AVAC-R é muito dinâmico e muitas vezes temos diversos cenários num único dia, o fato de os equipamentos possuírem algoritmos para otimização faz com que o sistema trabalhe sempre no melhor ponto de eficiência, garantindo um menor consumo de energia.

Monitoramento em tempo real da QAI

A Iot é grande aliada também no monitoramento e manutenção dos sistemas de AVAC. A possibilidade de monitoramento, operação e coleta de dados em tempo real, e em diversos componentes do sistema, possibilita ao técnico, ou operador, realizar um diagnóstico mais assertivo, despendendo menor tempo nas manutenções, já que a análise dos dados poderá ser realizada previamente em locais seguros.

Outro ponto importante a destacar é a possibilidade de monitoramento em tempo real de componentes responsáveis pela qualidade do ar no empreendimento. É possível monitorar em qualquer lugar e gerar alarmes em tempo real para qualquer alteração que coloque em risco a qualidade do ar interior. Com o IoT essas lógicas já estão embarcadas no próprio dispositivo e basta uma conexão com a internet para iniciar o monitoramento e coletas de dados. Isso é muito importante para a qualidade do ar interior, pois possibilita uma rápida identificação do problema e, dependendo do tipo, a correção pode ser realizada de qualquer lugar e sem a necessidade de uma visita. Esse tipo de monitoramento será de grande importância para sistemas de AVAC-R de hospitais ou laboratórios, pois o risco de contaminação é muito elevado e a possibilidade de realizar configurações e análises fora desses locais será de grande importância, minimizando o tempo de exposição dos profissionais responsáveis pelo sistema.

A Belimo tem contribuído com grandes investimentos em tecnologia IoT através do desenvolvimento de aplicações que convergem para a simplificação do planejamento, comissionamento e manutenção dos dispositivos e equipamentos, tornando os integradores de sistemas e OEMs mais eficazes e eficientes, no sentido de fornecer uma solução única aos seus clientes.

Leandro Medea, Engenheiro de aplicação, Belimo Brasil;

Tom Daenzer, Gerente de desenvolvimento de negócios digitais, Belimo Américas

Tags:, , ,

Comentários