OPINIÃO
Muito além do jardim
Disseminar conhecimento é tarefa de todos
postado em: 22/07/2015 17:13 h atualizado em: 23/07/2015 11:58 h

Gosto muito de cinema, mas não me considero um cinéfilo. Já freqüentei mais as salas de exibições da  chamada sétima arte do que freqüento nos dias atuais,  culpa da facilidade dos  muitos programas televisivos que nos são ofertados. Sou da época dos filmes do chamado “far-west”, que transformávamos em “ faroeste “ e que  empolgaram nossa infância. Os braços vaqueiros ianques  atacavam seus “ índios “ e os dizimavam sob aplausos da platéia infantil extasiada.

Depois vieram filmes de caçadas na África,  onde leões e elefantes eram mortos por simples prazer. Depois em “ Gunga Din “, filme de 1939, ingleses acabavam com  indianos, tudo moralmente correto em dias que já se foram. O mundo da minha infância não foi menos cruel e violento do que o  mundo dos dias atuais. Mudaram os agentes, os protagonistas  e as vítimas. Vez ou outra fomos premiados com obras de grande riqueza  humana.

Lembro, e recomendo,  pois pode ser encontrado com  facilidade na Internet, o filme “ Muito Além do Jardim “, com Peter Selers , que interpretava  um jardineiro, de nome Chance, que teve toda sua vida dedicada a um pequeno jardim e que se vê colocado na rua, em Nova Iorque,  caminhando por lugares que ele nunca havia passado antes em  sua vida simples e reclusa. Seu  linguajar era limitado aos seus parcos conhecimentos de jardinagem. Todo  seu mundo era aquele pequeno jardim confinado entre o muro divisório e a casa em que vivia seu protetor  que,  falecendo, o deixou  sem emprego, sem casa, sem nada. Enfrenta o mundo e  com seu linguajar simples chega a impressionar altos executivos e poderosos políticos.

Seria apenas uma obra de ficção ou tal fato poderia se repetir nos dias atuais? Creio que não só poderia se repetir como  se repete. Colocações desconexas ainda animam nosso dia a dia.

Dirigentes 

Primeiro nas nossas diversas associações  e mais recentemente nos sindicatos do setor, já tivemos um bocado de diretorias e de diretores. Figura impar foi Wagner Hotelo. Outros brilharam,  nenhum como ele, e até alguns além de não brilhar foram perdendo  o foco...Coisas da vida. A nova fornada de presidentes e diretores  nos encorajam ao prenúncio de ótimas gestões. ABRAVA,  ASBRAV,  ANPRAC,  SINDRATAR – SP  tem novos presidentes. O mais recente empossado foi Trombini, na presidência do Sindratar SP. Solenidade concorrida, presenças queridas e algumas ausentes, fato explicável numa solenidade à noite em São Paulo, na sede da FIESP, numa sexta feira, ainda por cima data comemorativa do Dia dos Namorados.

Afora alguns discursos um tanto quanto laudatórios em demasia , não ouvi sobre rumos futuros,  face ao real enfraquecimento de nossa economia e uma talvez falta de rumos para um mercado que vinha se expandido de forma  satisfatória. Crescemos muito com os  “splits”, que chegaram de forma positiva nas residências.

Com a anunciada alta na inadimplência   e o real declínio no poder aquisitivo de  muitos, essa expansão continuará? Dentre os planos  de novas obras governamentais, nos três níveis de poder, qual parcela de crescimento poderemos prever para os próximos meses ? Como novas cobranças de tributos sobre importações poderão sufocar o mercado de  importação de insumos não fabricados por aqui ?

Bola de cristal

Paulo  Francine  foi presidente da ABRAVA e nas reuniões de diretoria, homem muito bem informado que sempre foi ,   reservava a parte final das reuniões de diretoria para  comentar fatos políticos nacionais que eram de nossos interesses. Não conheci  e nem sei se Francine tinha  informantes ,  nem sei se ele tinha bola de cristal mas suas informações e previsões  sempre foram de muita valia para todos.

Comissionamento

Importantes as matérias publicadas na edição de junho desta revista sobre comissionamento. Destaco o box “ Ao contrário do que acontece na maior parte  das vezes, o  processo deveria ser contratado no anteprojeto “ Como seria ótimo se esta assertiva fosse realmente seguida ! Parabéns a todos os participantes do painel realizado na ABRAVA pelas suas colocações e em especial, pela sua incansável luta, ao Leonilton Tomaz Cleto.

Informações técnicas

Espero que um dia todas as reuniões técnicas realizadas possam chegar de forma prática e rápida a todo o mercado e não apenas aos ouvintes presenciais desses eventos. Disseminar conhecimento não deve ser tarefa apenas para associados mas para todo o mercado.

Sidney de Oliveira

OAB/SP e diretor da TAO Tecnologia

sidaosp@terra.com.br

Compartilhe essa matéria !
Deixe seu Comentário !


Seu nome:
 
Seu e-mail:
 
Mensagem:




Comentários