Meio ambiente
Consumo consciente
Prática chega às escolas
postado em: 03/12/2015 14:23 h atualizado em: 09/12/2015 10:37 h

O consumo consciente chegou a sala de aula, desenvolvendo atividades que mostram a importância de economizar bens como a água e energia, cujo consumo traz impacto ambiental. Na escola estadual Antonio Correia de Araújo, em Camaragibe, a turma do 9º ano escolheu o tema economia de energia para apresentar um trabalho na mostra de conhecimento do colégio que ocorreu na sexta-feira, dia 27 de novembro. “É interessante trazer temas que fazem parte da rotina deles, que se tornam multiplicadores de uma mudança de postura que passa pela casa, chega na escola, formando cidadãos mais conscientes”, resume a professora de língua portuguesa do estabelecimento, Maria Solange Lira.

Os estudantes fizeram uma maquete de uma rua, mostrando o que se deve fazer para economizar no consumo de energia. Eles também escreveram um poema com dicas de redução do consumo. “Aprendi muitas dicas de como reduzir o gasto de energia. E isso não traz consequências apenas na conta da minha casa, mas ao planeta”, diz a estudante Jamilly Vitória Souza, de 14 anos. Quanto mais se economiza, é necessário a implantação de menos empreendimentos para gerar energia.

O gestor da Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) de Olinda, Roberto Gonçalves de Araújo, começou a se incomodar com as luzes acesas na escola às 7 horas da manhã que lhe fez lembrar uma frase dita inúmeras vezes pela sua mãe: “temos que economizar energia”. Depois disso, o tema consumo consciente passou a fazer parte das aulas de Química num projeto piloto em que os alunos começaram a implantar iniciativas para diminuir o gasto com energia em casa e na escola desde a última semana de novembro. “A nossa ideia é fazer os estudantes perceberem que a redução do consumo de energia vai resultar numa conta mais baixa e que todos saem ganhando com isso, inclusive o meio ambiente”, resume.

Para se ter uma ideia da quantidade de energia desperdiçada no País, anualmente poderia deixar de ser gasta toda energia produzida pela usina hidrelétrica de Itaipu, caso a mesma funcionasse com a sua capacidade plena. Isso significa cerca de 50 mil gigawatts/hora por ano, segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Empresas de Serviço de Conservação de Energia (Abesco). Essa quantia de energia representa o consumo dos Estados de Pernambuco e Rio de Janeiro durante um ano. 

Fonte: JC Online

Compartilhe essa matéria !
Deixe seu Comentário !


Seu nome:
 
Seu e-mail:
 
Mensagem:




Comentários