Ar condicionado
TAB: mercado oferece inúmeras opções de válvulas e instrumentos
Desafio maior é, ainda, a mão de obra treinada e qualificada
postado em: 22/02/2017 16:09 h atualizado em: 08/03/2017 15:17 h

Hoje, com o avanço da tecnologia, o mercado garante opções de proteção mais confiáveis e mais eficientes energeticamente, seja em termos de componentes, como válvulas de controle, ou quanto aos instrumentos de medição. O maior desafio, ainda, é a mão de obra qualificada.

Em relação aos equipamentos adequados para a execução do TAB em sistemas de distribuição de ar, Felipe Cerqueira, da Testo, recomenda que o técnico possua instrumentos de medição de alta precisão e confiabilidade. Para o ajuste, manifolds digitais irão ajudar na determinação do superaquecimento e sub-resfriamento ideais da máquina, garantindo, assim, melhor eficiência na climatização dos ambientes; medições de corrente elétrica também se fazem necessárias, um alicate amperímetro pode ser utilizado nessa etapa. Para o balanceamento de entradas e saídas de ar, o balômetro é o instrumento ideal, possuindo sensores precisos que possibilitam determinar a vazão de fluxo de ar nos pontos de medição com a maior confiabilidade; anemômetros também podem ser utilizados em alguns casos. Durante o processo de testes, termômetros, termo-higrômetros e equipamentos multifuncionais devem ser utilizados para a determinação do nível de conforto térmico do ambiente; com aparelhos multifuncionais pode-se medir e verificar as concentrações de CO2 e pressão atmosférica, entre outros itens.

Segundo Rodrigo Miranda, diretor comercial da Mercato Automação, “os instrumentos para execução de TAB, tanto em sistemas de distribuição de ar como em distribuição de água gelada, devem ser precisos, garantindo a qualidade do trabalho e de fácil operação para economizar tempo de execução e ajustes”. Em relação ao TAB de distribuição de ar, o diretor da Mercato defende que o equipamento precisa unir tecnologia, comunicação sem fio e recursos para serem operados por apenas um profissional. Em relação à distribuição de água gelada, cita um medidor de vazão ultrassônico portátil, distribuído pela empresa, que possibilita “uma medição precisa e rápida sem a necessidade de abrir a linha de água para instalação ou utilização do equipamento".

Para Hernani Paiva, diretor geral da IMI Hydronic Engineering, os equipamentos corretos para a execução do TAB em sistemas de distribuição de água gelada são os que podem medir pressão, temperatura e vazão em tempo real. São adequados também aqueles que medem potência dos equipamentos e que tenham condição de coletar dados para análise de performance do sistema.

"O profissional deve ser capacitado não somente para fazer, corrigir e interpretar as leituras do equipamento, como, também, entender do sistema como um todo e interpretar os dados que estão sendo coletados sempre seguindo protocolo hidráulico que deverá estar vinculado com os dados e memoriais dos projetos", salienta Paiva.

Felipe Cerqueira (Testo), Hernani Paiva (IMI), Leandro Medéa (Belimo) e Rodrigo Miranda (Mercato)

Miranda comenta que o trabalho de TAB tem como premissa básica o comprometimento do profissional com a busca do resultado criterioso dos dados, para que se possa realizar uma avaliação adequada do sistema e efetuar os ajustes necessários para a operação dentro das faixas pré-estabelecidas e adequadas, o que vai resultar numa melhor performance do sistema e uma otimização de utilização de recursos como energia e outros insumos, além de gerar maior conforto para os usuários do ambiente.

Segundo Cerqueira, o profissional técnico que executa tarefas de TAB em sistemas de distribuição de ar deve se preocupar, principalmente, com a precisão e confiabilidade dos resultados medidos durante essas tarefas, evitando desperdício de tempo com retrabalho e entregando a seu cliente um sistema trabalhando com a maior eficiência possível, pois tomará suas ações com base em informações concretas e precisas.

Válvulas de controle independente, como algumas disponibilizadas pela Belimo, incorporam um medidor de vazão ultrassônico e uma válvula de controle de 2 vias. O atuador tem um algoritmo que modula a válvula de controle para manter o fluxo independentemente das variações na pressão diferencial do sistema. As válvulas fornecem um sinal de feedback (0-10 VDC ou 2-10 VDC) para o sistema BMS. “Dependendo do requisito do sistema, esse feedback pode ser configurado como vazão instantânea ou posição de abertura da válvula. A vazão máxima do sistema é configurada na válvula e ela irá realizar o balanceamento e controle do sistema mesmo em carga parcial. Esse sinal de feedback é utilizado pela automação para gerenciamento do sistema baseado na vazão real dos equipamentos”, diz Leandro Medéa, gerente de vendas da Belimo.

Charles Godini - charles@nteditorial.com.br

Compartilhe essa matéria !
Deixe seu Comentário !


Seu nome:
 
Seu e-mail:
 
Mensagem:




Comentários